Rancho Folclórico da Casa do Minho em Lisboa - LISBOA  

Rancho Folclórico da Casa do Minho em Lisboa - LISBOA  A Casa do Minho em Lisboa foi fundada em 1923 por um grupo de minhotos. A ideia era criar uma agremiação que congregasse todos os minhotos que residem em Lisboa, com a finalidade de defender os interesses do Minho e das suas gentes. 

Passados vinte anos, em 1943, foi fundado o Rancho Folclórico da casa do Minho em Lisboa, assente em bases sólidas e com capacidade de evolução, sendo o mais antigo da capital.

O Rancho Folclórico da Casa do Minho tem como objetivo divulgar a etnografia e a cultura minhota, fruto de uma recolha feita com rigor e critério ao longo de muitos anos no Alto e Baixo Minho. Esta recolha baseia-se na música, nos cantares e nas danças, assim como nos trajes típicos que os seus elementos envergam. 

Anualmente organiza um Festival de Folclore Nacional, no primeiro Domingo de Junho e uma Romaria Minhota em honra de Nossa Senhora do Minho e Santiago no final do Verão, para manter bem vivas as tradições minhotas na capital.

Tem várias participações em Festivais, nacionais e internacionais, em todo o Portugal, ao longo da sua existência, como também várias idas à televisão e participações em vários telediscos de artistas de renome. 

O nosso Rancho está incluído nos Ranchos mais antigos do concelho de Lisboa, tendo sido uma escola de Folclore Minhoto na capital, sendo o mais antigo Rancho de Folclore Minhoto em Lisboa. 

Organiza também vários Festivais de Folclore em teatros de renome como: Coliseu dos Recreios, São Carlos, São Luís, Maria Matos, Trindade, etc. 

É ainda sócio da INATEL. 

Acima de tudo seguem sempre os lemas que os fundadores da Casa do Minho lhes deixaram: “Saudações Minhotas” “Pelo Minho e pelos Minhotos”.  

Rancho Folclórico de Souzelo – Cinfães do Douro

Rancho Folclórico de Souzelo – Cinfães do DouroComemorar estes anos de atividade de folclore é ganhar uma batalha de afirmação e de conquista. 

Por isso, não pode passar despercebido o conto do Rancho Folclórico da Casa do Povo de Souselo, quer pela importância da obra desenvolvida desde a sua criação, quer pelos momentos de glória que proporcionou e proporciona a todos os Portugueses e afins. 

A preservação do património e cultura locais foi, desde sempre, o objetivo primordial que presidiu a atividade do Rancho. Com ele nasceram diversas estruturas que permitem, no presente e no futuro, revisitar a sede, o seu espólio cultural de uma história valiosíssima do rancho de Souselo. 

As danças e cantares exibidos nos espetáculos em que participa são, apenas uma parte da cultura escrita e oral, recolhida ao longo de dezenas de anos, através de uma pesquisa efetuada pelo professor Virgílio Pereira, homem sabedor de usos e costumes da terra e por alguns do seus elementos que nunca deixaram da aplicação dos mais rigorosos critérios de seleção e nos legam um riquíssimo património que irá perdurar na memória de todos os que se interessam pela história e vivências dos povos. Sendo que, o objetivo primordial do rancho Folclórico da Casa do Povo de Souselo é a preservação e divulgação das danças e cantares desta região. 

A conceção dos trajes que vestem os elementos do Rancho, a preservação de tradições seculares, como é o caso dos lavradores, negociantes de gado, romeiros e pescadores das águas doces, quatro exemplos simples, mas bem representativos, dos princípios que norteiam a forma de ser estar do Rancho Folclórico da Casa do Povo de Souselo. 

O Rancho é um documento vivo do nosso passado. Assistir a um espetáculo deste grupo é sinónimo de “viagem no tempo”. Uma viagem aos nossos antepassados à sua forma de vida, aos seus momentos de lazer. É descobrir uma riqueza cultural comum a cada uma das pessoas desta freguesia. E é, garantidamente, uma grande riqueza. Este Rancho é, onde quer que atue, sempre um grupo que consegue distinguir-se pela sua brilhante atuação em palco. 

A sua riqueza assenta, essencialmente, na beleza das danças. Não apresenta apenas um tipo de dança. Pelo contrário, tem variações de ritmos e de coreografias que faz com que cada uma das danças seja diferente da anterior e da que precede. Cada dança tem uma identidade única. São danças coloridas e contagiantes, acabando por envolver todos os que assistem numa onda de boa disposição e de alegria.

Rancho Folclórico Luz dos Candeeiros – Arrimal

Rancho Folclórico Luz dos Candeeiros – ArrimalO Rancho Folclórico Luz dos Candeeiros foi fundado em 22 de Maio de 1987, filiado na Federação do Folclore Português em 11 de Dezembro de 1989 e é sócio fundador da Associação Folclórica da Região de Leiria – Alta Estremadura, sendo parte integrante da secção cultural do C.C.R.D. de Arrimal. Tem a sua sede na Freguesia de Arrimal, Concelho de Porto de Mós e representa a região da Alta Estremadura. 

Arrimal, Freguesia essencialmente agrícola, inserida na Serra dos Candeeiros, tendo no cimo desta o seu ex-libris, o Arco da Memória, mandado construir por D. Afonso Henriques. 

Graças à iniciativa de um grupo de jovens, Arrimal viu o seu Rancho Folclórico surgir, para que as tradições dos seus antepassados não se perdessem no tempo e ficassem a perpetuar pela vida fora. Assim, fizeram uma rigorosa recolha dos seus usos e costumes, das músicas e danças, dos trajes e bem assim da etnografia do povo de antigamente, respeitando o seu valor cultural que querem preservar pela vida fora. 

Pretende assim, o “Luz dos Candeeiros” levar de terra em terra as recordações dos seus antepassados, mantendo-as vivas e respeitando-as incondicionalmente em todos os aspetos. 

Tem participado nos mais conceituados Festivais Nacionais e Internacionais de norte a sul de Portugal, Açores (COFIT) e Madeira, no estrangeiro em Espanha, França, Itália, Menorca e Sicília, sendo alguns deles no âmbito do CIOFF.

Rancho Folclórico “Os Pastores de São Romão” - SEIA  

Rancho Folclórico da Casa do Minho em Lisboa - LISBOA  Foi em 21 de Maio de 1978 que o Rancho Folclórico “Os Pastores de São Romão” iniciou a sua atividade, com a finalidade principal de Recolher, Preservar e Divulgar o Património Material e Imaterial da encosta ocidental da Serra da Estrela. 

São Romão terra que viu nascer o seu Rancho Folclórico e que prontamente apoiou, é hoje uma Vila com cerca de 4.000 habitantes que atualmente vivem principalmente do Comércio, Serviços e Turismo. 

No passado, dedicaram a sua capacidade de trabalho, como forma de subsistência, à Agricultura e Pastorícia o que, resultante desta atividade, em boa hora souberam aplicar os seus conhecimentos na confeção artesanal do famoso Queijo da Serra da Estrela e principalmente aproveitar a lã dos seus rebanhos, para mais tarde desenvolverem a Industria dos Lanifícios que perdurou e criou riqueza para a região até finais dos anos 80. 

Dada a sua situação geográfica e proximidade com o topo da montanha vê, ainda hoje, enraizada na tradição das suas Gentes as mais puras e rudes características Serranas, e que, teimosamente, o Rancho Folclórico “Os Pastores de São Romão” procura preservar e retratar nas suas apresentações. 

É sócio efetivo da Fundação INATEL e da Federação do Folclore Português.