ESLOVÉNIA - Tine Rožanc Folk Dance Group 

ESLOVÉNIA - Tine Rožanc Folk Dance Group O grupo é originário da cidade de Ljubljana, capital da Eslovénia. Foi fundado em 1949, por um grupo jovens que decidiram preservar as tradições nacionais. Este foi o início do grupo de dança folclórica Tine Rožanc. Hoje existem mais de 50 elementos, principalmente estudantes, que realizam inúmeros concertos, festivais internacionais e outros eventos culturais tanto na Eslovénia como no estrangeiro.

As danças folclóricas da Eslovénia são muito variáveis e o repertório do grupo é extenso. As danças apresentam-nos cenas da vida quotidiana como as estações, a agricultura, a tecelagem e o amor, mas também o casamento e a guerra. O ritmo de cada coreografia é variável e reflecte a diversidade de danças folclóricas preservadas de cada região da Eslovénia. Às vezes, o ritmo é rápido outras vezes lento. A maioria das danças são danças de par, assemelhando-se a outras danças centrais europeias, mas há a excepção notável das danças do Sul da Eslovénia, que é dançada em círculos. Para cada coreografia é usado um traje regional específico.

As danças são acompanhadas pelo contrabaixo, acordeão e clarinete. Cantar é também parte integrante das músicas regionais. São canções espirituosas e divertidas e acompanham por vezes as coreografias. O canto pode ser acompanhado pela banda, mas é mais frequente ser cantado sozinho numa harmonia de duas vozes.

Os membros de Tine Rožanc são verdadeiramente dedicados ao grupo e estão orgulhosos de serem embaixadores do folclore Esloveno.

Este grupo é membro da Secção Nacional do CIOFF da Eslovénia.

ESPANHA - “AIRES D'ANDRATX Agrupació Folklòrica” 

ESPANHA - “AIRES D'ANDRATX Agrupació Folklòrica” O "AIRES d'Andratx Agrupació Folklòrica" foi fundado em 1986 por um grupo de pessoas entusiastas e grandes conhecedores do seu folclore. Actualmente compõem a Associação quase uma centena de elementos. O grupo folclórico é composto por cerca de 40 membros não profissionais - entre os músicos e dançarinos. O grupo é membro da Federação de Música e Dança de Maiorca.

O primeiro projecto consistiu na recuperação das composições musicais da sua região. O grupo tem resgatado dos arquivos particulares as anotações das melodias antigas e compilou peças que apenas as pessoas de idade se lembram. O grupo foi aberto ao folclore do resto da ilha, adoptando grande variedade de canções e temas instrumentais. Estão incluídos neste repertório jotes, boleros, fandangos, copeos e mateixes.

Para a interpretação do folclore o grupo toca instrumentos tradicionais e populares de Maiorca: xeremies (gaita), fobiol (flauta de Maiorca), tambor, bandurria, violino, alaúde, guitarra...

D'Andratx Aires difunde a dança mais típica da sua aldeia: os boleros e adoptou outras formas de dança de diferentes regiões da ilha. As danças de Maiorca têm sua origem na Escuela Bolera Espanhola do século XVIII e que se tornou popular em Maiorca no início do século XIX.

A dança tradicional popular do maiorquino é dominada pelo matriarcado. A mulher orienta o homem a interpretar e improvisar a dança ao seu próprio jeito, numa espécie de insinuação erótica. Ele deve segui-la sem perder as etapas ou os movimentos. D'Andratx Aires defende o espírito da dança como expressão festiva onde o gozo, a improvisação e as mulheres têm um poder importante. A dança é um jogo, um jogo de sensualidade.

Ultimamente, a associação começou uma recuperação de trajes populares de modo a trajar-se com autenticidade e, simultaneamente, trabalhar para a dignificação do traje tradicional.

O grupo, adoptou o modo de vestir da classe popular de Maiorca do século XIX, na maioria dos casos os trajes têm mais de 150 anos.

ITÁLIA - I Picciotti di Mataro' 

ITÁLIA - I Picciotti di Mataro'O Grupo Folclórico "I Picciotti di Mataro'" tomou o nome de uma cidade situada sobre uma pequena colina localizada atrás da cidade de Marsala, que é o chamado Matarocco. O grupo nasceu em 2007.

O Grupo Folclórico Internacional siciliano "I Picciotti di Mataro" é uma associação cultural sem fins lucrativos, nascido por ocasião do festival de folclore siciliano realizado em conjunto com a feira gastronómica de... Matarocco. Tem representado a Itália em diversos Festivais na Europa (França, Espanha, Sérvia, Alemanha, Holanda, Hungria), sendo sempre muito aplaudido. O grupo é composto por 35 elementos, subdivididos em coro, dançarinos e músicos, com a mesma paixão pela cultura siciliana. Uniram-se não só para fazer uso da sua experiência noutros grupos da sua terra, mas para difundir as tradições folclóricas populares do "Trinacria" símbolo siciliano, aclarando, canções e danças, mostrando a diversidade de cores dos seus trajes do século VIII da "Rica Burguesia", mostrando a paixão, o entusiasmo e a tradição milenar da Sicília.

O repertório das músicas e danças da associação são extraídos da colecção de vários autores como Favara, Pitre', Salamone Marino com posteriores arranjos feitos pelos fundadores do grupo. Todas as músicas populares reflectem as tradições do país, de amor, alegria e trabalho árduo. As já muito conhecidas danças sicilianas apresentadas pelo "picciotti" são a tarantella, o Marsalesian , o "Jolla" dança típica da cidade, o "ballo del chiodo" e a contradanza uma dança de passo em ritmo francês, dançada nos casamentos.  

MÉXICO - Compañia Folklórica Son Mestizo 

MÉXICO - Compañia Folklórica Son Mestizo Nasceu em 19 de Agosto de 2001, em Guadalupe Nuevo Léon, com o nome de “Grupo Folklórico Horizonte”.

Desde a sua fundação tem estado sob a direcção artística do Prof. Roberto Carlos Loera Ramirez que, com apenas 14 anos, decidiu levar este grupo a um excelente nível, convertendo-se assim, em Ballet Folklórico Municipal. Com o passar dos anos, o Prof. Roberto decide tornar-se independente, e em 12 de Janeiro de 2009 muda o nome para “Ballet Folklórico Iza-Liztli”, que significa Despertar de Alegria.

Ao iniciar esta nova etapa, é integrado um novo elemento na equipa: o Prof. Jorge Alberto González Zúñiga para a direcção artística, bem como mais elementos executantes.

A 16 de Janeiro de 2010 é criado o Ballet Infantil e em Fevereiro de 2011 o Ballet Juvenil. Cada um dos elementos que fazem parte deste grupo adoptaram um estilo único e dinâmico e comprometeram-se a levá-lo a um nível mais alto, unindo-se com um objectivo principal: mostrar um espectáculo folclórico de qualidade.

O grupo viria a sofrer uma segunda mudança com a sua integração na equipa de trabalho da Universidade Autónoma de Nuevo Léon em Agosto de 2010. Em Agosto de 2012, porém, retoma a sua autonomia com uma nova imagem: “Ballet Folklórico Son Mestizo”, tendo como missão tornar-se uma das Companhias mais representativas do estado, apresentando espectáculos de elevada qualidade.

Desde a sua fundação que o grupo apresentou dois espectáculos chamados: “Fiesta de mi Pueblo” no Teatro Universitário, e “De costa a costa” na Aula Magna da Universidade Autónoma de Nuevo Léon, este último em Agosto de 2012.

POLÓNIA - The Academic Song and Dance Ensamble from University of Łódź KUJON

POLÓNIAThe Academic Song and Dance Ensemble, da Universidade de Łódź KUJON foi fundada em 1987 por alunos e letrados da área de Lodzer da Academia de iniciação de educação física. Desde 1991, como resultado da reorganização do sistema de estudos, KUJON tem funcionado como parte integrante da Universidade de Łódź. É o único grupo folclórico de alunos em Łódź. O nome do grupo vem do nome da dança do bairro de Łowicz - área central de Polónia /łowickie kujony.

O seu repertório é constituído por músicas e danças nacionais e regionais de zonas como Łowicz, Opczno, Lublin, Rzeszów, Nowy Sącz, Cracóvia, Spiš e da história de dance-music "At majówce w Lesie Mani" que se baseia no folclore local.

KUJON participou em inúmeros festivais, não só na Polónia, mas também no exterior: Itália, Argélia, Turquia, Espanha, Macedónia, França, Escócia, Coreia do Sul, Rússia e Ucrânia ondetrouxeram muitos prémios e distinções. O grupo recebeu um prémio especial para coreografia no festival folclórico em Samsun – Turquia e “Grand Prix” no festival em Sidi Bel Abbes-Argel. KUJON tem também ganho uma enorme simpatia do público.

O grupo é um membro do Conselho da organização internacional de festivais de folclore e arte popular (CIOFF) e da Associação Académica do Folclore Polaco(PASF).

PORTO RICO - Agrupación Folklórica ELMYRBA 

PORTO RICO - Agrupación Folklórica ELMYRBA Desde 1996 que a escola especializada em Belas Artes tem preparado alunos em artes liberais e musicais. ELMYRBA Conjunto Folclórico da Escola Regional de Belas Artes faz parte do departamento de educação da Comunidade de Porto Rico. Esta escola reúne alunos de diversas escolas da área de Arecibo e forma-os em ballet, jazz, danças folclóricas e música. Têm também programas de música, teatro e artes visuais.

ELMYRBA apresenta um espectáculo diversificado do folclore de Porto Rico com a riqueza da cultura dos índios Taino, espanhol e culturas africanas, que combinados criam o folclore porto-riquenho.

ELMYRBA ganhou inúmeros prémios em festivais na Turquia, Chipre, Grécia, Egipto, Porto Rico, Alemanha, Bélgica e Holanda.

PORTUGAL - Grupo Folclórico das Terras da Feira Casa da Gaia

PORTUGAL - Grupo Folclórico das Terras da Feira Casa da GaiaA CASA DA GAIA - Centro de Cultura, Desporto e Recreio de Argoncilhe - Santa Maria da Feira, foi fundada em 1971.

Dos vários sectores existentes, destaca-se o Grupo Folclórico das Terras da Feira.

Depois de um trabalho apurado no campo das recolhas, este grupo aparece com muita dignidade a interpretar e a divulgar o Folclore das Terras da feira.

É o responsável pela organização do DANÇAS DO MUNDO - FESTIVAL INTERNACIONAL DE FOLCLORE NAS TERRAS DA FEIRA E DO ENCONTRO DE JANEIRAS.

Este Grupo tem participado em diversas manifestações culturais de Norte a Sul do País e regiões autónomas em: Festivais, Festas/Romarias, Animações, Encontros de Janeiras, etc.. - Conta ainda com uma actuação em directo na RTP no programa "Às Dez".

No estrangeiro actuou várias vezes em França, Bélgica, Itália, Áustria, Espanha, Grécia, Hungria e Bulgária.

RÚSSIA - VOLNAYA STEPPE 

RÚSSIA - VOLNAYA STEPPE A região de Stavropol, localizado no sul da Rússia, é a região dos cossacos. Durante séculos o folclore e as tradições da região dos cossacos estiveram perfeitamente entrelaçados, como os rios originais: o Don, Tereka e Kuban. Para permitir que essas riquezas nacionais tivessem uma maior exposição ao mundo da arte moderna, em 2005 o Presidente da Câmara de Stavropol criou o grupo de profissionais de música e dança Volnaya Steppe para apresentar ao mundo a luta do cossaco ao longo dos séculos pela liberdade e independência. Nas estepes abertas, não houve nenhum soldado igual ao cossaco, que destemidamente protegia as fronteiras meridionais da Rússia, muitas vezes, enfrentando o desafio sozinho, com excepção de seu verdadeiro amigo; o seu cavalo de combate.

No curto período de tempo desde a sua criação, este grupo de jovens enérgico tornou-se líder em círculos de arte da região de Stavropol. O grupo é composto actualmente por 36 elementos, entre coro, bailarinos e músicos. O repertório de Volnaya Steppe é variado, com complexas coreografias, muitas vezes envolvendo todo o conjunto, em que os cantores e dançarinos agem como um, transmitindo uma narrativa dos momentos felizes como quando os soldados cossacos voltavam para suas esposas e famílias e as alegrias de trabalhar a terra. Cada actuação contém quatro a seis apresentações de comédia e uma selecção de números interpretados por cantores e dançarinos. Naturalmente, muitas das interpretações dos grupos corais são canções militares e de marcha, mas as variadas ofertas incluem também cenas brincalhonas de casamento. As canções são executadas com dança ilustrando o modo de vida dos cossacos ao longo dos séculos, transportando o público para a vida e os tempos do soldado cossaco, trabalhador e agricultor.

Um caleidoscópio de impetuosa ousadia, diversão e humor são enquadrados e acompanhados pela Orquestra popular, contendo instrumentos como o “Bayan”, trombone, “domra”, “balalaika”, baixo e bateria. Brilhantemente adornadas, belamente fantasiadas, as figuras ilustram o modo de vida cossaco, com trajes trabalhados com precisão pelos mestres para capturar vivamente a natureza brilhante da tradição do cossaco. O talento e a versatilidade do conjunto possibilitam o mais alto grau de fusão orgânica e síntese dos géneros de coro, arte popular, dança e música. Na verdade, os artistas alcançam uma síntese que o público é muitas vezes deixado a adivinhar – quem é antes deles, cantores ou bailarinos?

SÉRVIA - KUD “SVETI SAVA” 

SÉRVIA - Os principais objetivos são valorizar, preservar e manter as tradições culturais de nossa herança cultural e passar à próxima geração.

O programa popular do nosso país é composto por um rico e atraente repertório que consiste na variedade de canções e danças folclóricas tradicionais de diversas regiões do nosso país, em diversos trajes tradicionais coloridos, com diferentes ritmos, acompanhados pelo som da orquestra tocando instrumentos tradicionais.

Com as apresentações internacionais, queremos dar oportunidade a outras pessoas de saberem mais sobre a nossa cultura, tradições e danças em todo o mundo e promover o nosso país.